Sigam-me!

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Empreendedorismo está na alma!

Pra você que está com suas ideias a todo vapor e quer se tornar um empreendedor de sucesso, leia a matéria abaixo que foi publicada na revista EXAME.

O milionário Masayoshi Son está em busca da eternidade?

0 empreendedor Masayoshi Son, de 55 anos, contraria o estereótipo do empresário japonês. A começar pelo fato de que Son é neto de coreanos, algo nada corriqueiro no Japão, um dos países menos abertos à imigração no mundo rico. Na adolescência, Son chegou a pensar em suicídio por se sentir excluído.

Sua determinação, porém, o levou, nos anos 70, a estudar nos Estados Unidos, outra decisão incomum. Aos 19 anos, ainda estudante de economia da Universidade da Califórnia, em Berkeley, criou uma máquina de tradução automática que acabou sendo vendida para a Sharp por 1,5 milhão de dólares em valores de hoje.
No começo dos anos 80, já de volta ao Japão, Son começou a pavimentar o caminho que o levaria ao topo. Fundou o Softbank — que, apesar do nome, era uma desenvolvedora de software —, pegou carona na onda da internet e, mais tarde, investiu no setor de telecomunicações.
Hoje bilionário, Son acabou de dar mais um exemplo de seu comportamento muito pouco nipônico. Em outubro, anunciou a aquisição, pela quantia assustadora de 20 bilhões de dólares, de 70% da Sprint Nextel, terceira maior operadora de celulares dos Estados Unidos. Nunca nenhuma empresa japonesa investiu tanto de uma só vez no exterior.
Com o currículo de um legítimo self-made man, Son é o japonês mais seguido no Twitter. Mas, como é comum nesses casos, também atrai críticas ferozes — não apenas de seus conterrâneos mas também no exterior. A mais contundente delas é sobre a aparente falta de lógica em sua estratégia de negócios.
Son tem investimentos no site de buscas Yahoo!, no Alibaba, o maior portal de comércio eletrônico da China, e na empresa de jogos online Zynga. Embora sejam todas companhias da área de tecnologia, não há sinergia entre elas. Quando perguntado a esse respeito, Son se apoia na tradicional visão de longo prazo dos japoneses (ainda que de forma bem exagerada).
Em 2010, ele chegou a anunciar um plano para perpetuar seu grupo nos próximos 300 anos. “Meu sonho é grande, ok?”, disse recentemente à revista americana Wired.

A compra de vários negócios diferentes seria uma forma de manter o grupo vivo num futuro longínquo, quando, nas palavras de Son, “99,98% das empresas que existem hoje terão desaparecido — pelo menos no formato atual”.
A hora da verdade
Son é famoso por seus rompantes. Depois do acidente na usina nuclear de Fukushima, no Japão, em março de 2011, ele chegou a pedir demissão para se dedicar a projetos de energias renováveis — o conselho de administração do Softbank conseguiu demovê-lo da ideia.
Dono de uma biografia e uma personalidade intrigantes, Son é também contraditório. O mesmo empresário que fala na perenidade de seus negócios acabou de tomar uma decisão que pode colocar em risco a sobrevivência de todo o grupo. Ao comprar a Sprint Nextel, Son elevou a dívida do Softbank ao patamar de 25 bilhões de dólares, 30% do faturamento anual do grupo. 
É com essa espada sobre a cabeça que Son vai entrar no maior e mais competitivo mercado de telecomunicações do mundo. Seu histórico, porém, faz com que mereça um voto de confiança. Em 2004, Son comprou a Japan Telecom. Dois anos depois, adquiriu a Vodafone no país por 15 bilhões de dólares, então a número três do mercado local.
Na época, disse que, em menos de dez anos, seria maior do que as líderes DoCoMo e KDDI, o que provocou sorrisos maliciosos entre os concorrentes. Hoje, a empresa de Son já é a segunda do mercado japonês, à frente da KDDI. Com a aquisição da Sprint Nextel, tornou-se a terceira maior operadora de celular do mundo.
Isso, no entanto, não muda o fato de que ele chega aos Estados Unidos em desvantagem. O segmento de celulares americano está polarizado entre a Verizon e a AT&T, que juntas têm 200 milhões de clientes, ante os 56 milhões de usuários da combalida Sprint Nextel, carente de investimentos e com queda contínua de receita.
Para quem saía com a avó em busca de restos de comida para alimentar a criação de porcos da família quando criança, ser um outsider não chega a ser um problema. Son nunca foi um japonês típico.

Confiram também nossa Fan Page - Gerir & Viver - http://www.facebook.com/gerirViver

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Seja um exemplo de Superação!

Se hoje você está passando por momentos desfavoráveis em seu ambiente de trabalho, com relação à suas tarefas, desconforto em seu ambiente, faça você a própria transformação, utilize os pontos negativos a seu favor. Cresça em cima das dificuldades, tenha a certeza de que elas te darão uma base sólida e através disso alcançará o sucesso e todos verão o quão importante você está sendo e será dentro da equipe. Seja um exemplo de superação, utilize tudo à seu favor!

Confira também nossa Fan Page - Gerir & Viver - http://www.facebook.com/gerirviver

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Banner - Motivação!

Pessoal, a melhor forma de motivação é a união e interação da equipe, trabalhe focado em seu time, estimule os contatos interpessoais, realize interações, compartilhe exemplos anteriores de sucesso. Com isso, com certeza a vitória estará em suas mãos!

Confira também nossa Fan Page - Gerir & Viver - http://www.facebook.com/gerirviver

domingo, 21 de outubro de 2012

Instrumental da Administração

Pode-se dizer que administrar é a arte de buscar novos resultados diante diversas situações, através de quatro ferramentas, que seriam o planejar, organizar, dirigir e o controlar. Vamos falar um pouco mais destas quatro ferramentas:

Planejar - é o ponto de partida para uma administração de sucesso. Tudo se inicia através do planejamento, onde podemos analisar nossa realidade, montar um referencial futuro, avaliar o caminho que deverá ser seguido, o planejar é a arte da busca ao sucesso.

Organizar - é colocar todo o planejamento em pauta e posteriormente analisar a forma mais eficiente e eficaz  para se trilhar determinado caminho.

Dirigir - na administração a palavra Dirigir significa ter acesso ao planejamento, a organização e a partir destes dois tópicos o administrador tem a possibilidade de delegar o plano de ação para seus colaboradores, expor os métodos de realização, os caminhos e formas a serem seguidos. Assim podendo atingir resultados positivos para a organização.

Controlar - é estudar e analisar os resultados e esforços que partem dos colaboradores alocados em determinada empresa, a partir disto deve-se liderar a exposição de todos os recursos apresentados através do ato de planejar, organizar e dirigir, a fim de atingir os objetivos propostos.

Você administrador, lembre-se, é importante que siga esses quatro tópicos sem tira-los da ordem, pois ninguém organiza determinada situação sem ter ao menos planejado, tão pouco controla o que não foi organizado. 

Administrar é montar um plano de ação e a partir disto, buscar realiza-lo de forma onde todos os colaboradores estejam envolvidos e participando positivamente para que no final do período alcancem o sucesso. Mas, lembre-se que um ato fundamental na administração é a Gestão, não só das atividades mas sim das pessoas que estão envolvidas. A administração deve sempre caminhar lado a lado com a motivação, sempre busque estimular seus colaboradores, dar oportunidades de exposição das próprias ideias, pois não adianta de nada ter todas as ações preparadas e montadas se não tiver uma equipe unida e motivada para coloca-las em prática.

Confira também a Fan Page - Gerir & Viver no seguinte link - http://www.facebook.com/gerirviver

terça-feira, 16 de outubro de 2012

Retenção de Talentos - o que fazer para retê-los?

Podemos ver que no atual momento, um dos assuntos mais discutidos pelas organizações, por empreendedores, gestores, é a forma de como podemos agir para que não corramos o risco de perder grandes colaboradores, que tenham potencial acima do esperado, considerado um talento diante dos grandes "chefões".

As primeiras mudanças devem ocorrer dentro da organização, precisa-se realizar um estudo, ou até mesmo contratar um profissional externo para  expor os pontos iniciais, de como reter um talento em sua empresa, assim começará a ter uma visão mais detalhada e focada no desenvolvimento do indivíduo.

Os gestores deverão estar sempre acompanhando as atividades diárias de todos os colaboradores, só assim conseguirão perceber quem está se destacando em determinadas rotinas e o porque está se destacando, quais os motivos e de onde está vindo sua própria motivação. Após realizar este estudo, trabalhe em cima das informações coletadas e continue o trabalho motivacional através de estímulos e incentivo.

É fundamental que a empresa trabalhe com o desenvolvimento de cada profissional para que cada vez mais as suas atitudes venham resultar positivamente para a Organização. A melhor forma de desenvolvimento é o treinamento, essas duas palavras andam juntas e devem ser apresentas em qualquer situação ligada à este assunto. Lembre-se que sem treinamento não tem desenvolvimento e uma empresa que não se desenvolve, uma hora morre.

Abaixo segue alguns tópicos para você gestor que esteja interessado no sucesso de sua carreira criando sua base com possíveis talentos:


- Gerentes e Supervisores devem ser os responsáveis diretos nesta retenção, sempre apresentado metas/desempenho, isto é, bônus.

- O ambiente de trabalho deve ser motivador e encorajador, respeitando o equilíbrio da vida pessoal e do trabalho. 

- Deixe claro para os colaboradores que a empresa utiliza de planos efetivos, para futuras evoluções de carreira.

- Sempre foque esforços nos profissionais acima da média, nos mais talentosos e acima da média.

- A empresa deve satisfazer o colaborador em múltiplos níveis.

- Primeiramente em uma abertura de vaga, busque profissionais que estão alocados dentro do grupo.


Estes são alguns passos para que você e sua empresa, ou equipe, comece a analisar e a partir daí tomar as medidas para implantação de um sistema de absorção de talentos. Porém, se a empresa já iniciou seu processo de mudança de valores e está valorizando mais o colaborador, continue focado, pois os melhores resultados sempre virão através das pessoas e não das maquinas.


Conheçam também a nossa FAN PAGE - http://www.facebook.com/gerirviver

sábado, 13 de outubro de 2012

Confiança - o segredo do crescimento

Por quantas vezes ouvimos dizer a palavra "confiança" em um âmbito empresarial?

Podemos dizer que muitas vezes ouvimos, pois a palavra confiança assusta a maioria dos empreendedores, líderes e gestores. 

Há tempos o que mais atravanca o desenvolvimento de Organizações e o crescimento profissional das pessoas é a falta de confiança, não que devemos confiar em todo mundo, mas com certeza devemos tentar, pois se contratamos alguém pra determinada função é porque achamos que este indivíduo tenha a capacidade de desenvolver suas tarefas de maneira produtiva.

Se todos parássemos para pensar e fizéssemos esta pergunta para nós mesmos: Confio em meu colaborador? 

Gestores, líderes, todos os que estão lendo este artigo, façam esta pergunta, porém, a resposta trará com certeza muito sucesso e resultados positivos imediatos para certa organização ou carreira profissional. É claro que em alguns casos a incógnita permanecerá, então o melhor a fazer é se aproximar de tal pessoa e incentiva-la através de estímulos, como por exemplo, recebeu um feedback, elogie este colaborador e faça com que sinta-se importante.   

Lembre-se que a falta de confiança é o maior meio de desmotivação do colaborador, pois quem está passando por isso, sente a situação e assim acaba realizando suas tarefas com excesso de insegurança.

Vamos citar um coordenador de determinada organização, que tem sua equipe formada por assistentes e analistas. É claro que todo coordenador almeja um cargo de gerência, creio que todos devemos pensar em nosso crescimento, independente do cargo que estamos no momento devemos nos focar nos resultados do presente para nossa ascensão no futuro. Mas para um coordenador, como o que citamos acima, que deseja sua própria ascensão, ele tem que confiar em sua equipe, é necessário delegar as tarefas, dividir as responsabilidades, preparar seus subordinados para assumirem o posto de coordenação, se não com certeza o mesmo permanecerá onde está e arriscando-se também a perder o que já tem, pois acaba atrapalhando a evolução profissional de uma equipe e também da organização.

Concluímos que a confiança, ou melhor, a falta de confiança é o que mais desmotiva os colaboradores, as pessoas, tanto no meio organizacional como pessoal. Procure mudar sua visão, distribua seus conhecimentos, suas vivências, deixe que outros realizem o que você um dia aprendeu com alguém. Através disso terá uma base para que possa colocar os dois pés e subir mais um degrau.

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Excelência em Gerenciamento - Jack Welch

Jack Welch nascido na cidade de Salem, localizada em Massachusetts, é considerado um dos maiores líderes, administradores e gestores da atualidade. Jack traçou dentro de uma das Organizações mais respeitadas do mundo, General Eletric, conhecida também como GE  o seu próprio modo de liderança e suas próprias técnicas de gestão, que sempre quando implementadas, alcançaram total sucesso. Jack Welck traçou novas linhas no mundo dos negócios, reescrevendo regras para que determinada Organização lucrativa e de sucesso devesse conduzir os seus negócios.

Baseado no sucesso deste grande líder e gestor, abaixo deixaremos alguns tópicos para que você, empreendedor, gestor, líder, alcancem também o sucesso para suas Organizações ou então para o seu método de desenvolvimento dentro de determinada Empresa.

- Gerencie menos: uma supervisão muito controlada e burocrática esconde a competitividade e a criatividade da Organização, deixem as pessoas tomarem suas próprias decisões. Cada colaborador tem que saber quais são suas responsabilidades e realiza-las.

- Faça mais do que esperam de você: o que mais vemos hoje em dia são profissionais dizendo "porque será que novas oportunidades não batem em minha porta". Em outros termos, existem pessoas que fazem além do que se espera que elas façam, sempre buscando a excelência em suas tarefas, pessoas assim desenvolvem mais, trabalham mais, gostam mais do que fazem e consequentemente ganham mais e as oportunidades sempre estão ao lado delas.

- Seja menos formal: deverá perceber a importância em manter um tipo de Organização informal, incentivando o fluxo de ideias, através de novos pensamentos e conhecimentos, entre colaboradores e a alta hierarquia.

- Líder: ser visionário, sempre trazendo inspiração de como as coisas podem ser melhoradas. Deve trazer mais energia e motivação à equipe, nunca deve ser um gerente que deprime e que controla.

- Crie uma visão e atraia sua equipe para que alcance a mesma: busque trazer paixão nas atividades realizadas por seus colaboradores. Parece ser "perfeito", mas um excelente gestor consegue fazer isso. Se tens um espirito incentivador e motivador, conseguirá que sua equipe alcance resultados jamais atingidos em outra épocas.

- Veja as mudanças como oportunidades: estar aberto à mudanças é determinado como uma certa vantagem, mesmo que isso signifique colocar parte da Organização em uma confusão por um período de tempo.

- Envolva todos: capture o intelecto de cada um de seus colaboradores, assim permitindo mais entusiasmo e responsabilidade com mais liberdade.

- Atente-se aos valores: não foque sua atenção somente em números, visualize mais os valores da empresa, na troca de informações, no modo de incentivar a todos e na criação de um time.

- Simplifique: tudo se torna mais rápido, com fácil entendimento e as possibilidades de erros reduzem.

- Faça com qualidade: não basta ser o melhor, deve sempre buscar ser a única opção, porém, só conseguirá isso com uma qualidade acima do esperado. 

Agora basta você colocar estes tópicos em prática para que atinja tanto o seu sucesso profissional e também o sucesso de sua Organização.

*Confira também a página Gerir & Viver no Facebook - http://www.facebook.com/gerirviver

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Pedagogia Empresarial

Hoje em dia podemos ver vários pedagogos exercendo suas atividades dentro de grandes Organizações, podemos ter uma imagem totalmente diferente deste profissional que há tempos atrás não tinha relação alguma com o âmbito Organizacional.

O pedagogo sendo como um instrumento de educação, dentro de determinada empresa o mesmo tem os conhecimentos e a capacidade necessária para desenvolver e identificar indivíduos com determinado potencial mais elevado para determinada área ou situação. Grande parte destes pedagogos estão atuando na área de Recursos Humanos.

A pedagogia tem como base comum viver a procura de alternativas, metodologias e estratégias, assim buscando a cada dia a melhoria da aprendizagem, buscando através disto o seu principal objetivo, assim, gerando mudanças comportamentais nos colaboradores, sendo que os mesmos, a partir deste ponto chave, melhorem e aperfeiçoem tanto as qualidades de sua atuação no âmbito profissional e também pessoal.

Com tudo, podemos dizer que o pedagogo tem a necessidade de se tornar um indivíduo crítico, com novas ideias e ter uma visão diferenciada diante de determinadas situações, assim acabando por ser mais flexível, adaptando-se facilmente à mudanças, contribuindo com grande força para o crescimento empresarial, sempre focado em um objetivo, o de estar totalmente ligado a área de Desenvolvimento e Treinamento Humano, sendo que através destes treinamentos a Organização consiga atingir seus objetivos.

Vale lembrar que o maior patrimônio da empresa, é o ser humano, com base nesta vertente podemos dizer que o foco maior é a Gestão de Pessoas. Para que tenha uma Gestão de sucesso o importante é ser um pouco mais prudente, assim dará mais valor à empresa e acima de tudo ao colaborador.

Para finalizar salientamos que o Pedagogo Empresarial tem uma importante participação dentro das Organizações, sempre ligando as necessidades à Gestão de Conhecimentos. Ressaltamos que o Pedagogo deve sempre se lembrar dos dois lados: o da empresa e o do colaborador, a empresa mantendo-se com profissionais qualificados sempre atingirá melhores resultados e lucratividade, e o colaborador quando motivado e focado em seus conhecimentos, sente-se melhor e produz com uma ênfase muito maior.


*Confira também a página Gerir & Viver no Facebook - http://www.facebook.com/gerirviver

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Gerir & Viver - Mais pra você!

Pessoal, confiram também a página Gerir & Viver no Facebook. Segue o Link abaixo:

http://www.facebook.com/GerirViver

Se quiserem estar informados sobre notícias, leis, novidades na área administrativa, curtam a página para receber atualizações diárias.

Dúvidas, por favor, compartilhem, vamos integrar nossos conhecimentos para que assim diariamente cresçamos!


Um grande abraço a todos.

Levi Baldessin

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

David MacClelland: Motivação

David MacClelland foi um psicologo americano nascido 1917, foi reconhecido por seu excelente trabalho em motivação do sucesso e consciência. MacClelland, foi quem identificou três necessidades fundamentais, pontos-chave, para a motivação, que seriam: afiliação, poder e realização. Tais necessidades estão em segundo plano, pois são adquiridas no decorrer da vida, mas sempre trazendo sensações que o ser humano gosta e necessita sentir para que sinta-se também ainda mais motivado.

Abaixo uma breve descrição das três necessidades apontadas como fundamentais para David MacClelland:

- Necessidades de Afiliação: desejo e necessidade de estabelecer relacionamentos próximos, evitando conflitos e criando laços fortes de amizade, considera-se uma necessidade social, de apoio e companheirismo (motivados por cargos que exijam interação frequente), tem certa dificuldade em avaliar os subordinados de forma mais objetiva, as pessoas possuem muito mais valores e são bem mais importantes que a produção de outputs.


- Necessidades de Poder: desejo de poder influenciar outros, ter responsabilidade por outros, assim, exercendo autoridade, necessidade de controlar, dominar pessoas (buscando posições de liderança). Uma elevada tendência para o poder está totalmente relacionada as atividades competitivas, dentre elas o interesse em obter e manter posições de prestígio e extrema reputação.

- Necessidades de Realização: desejo de alcançar algo com um elevado grau de dificuldade de conquista, exigindo um padrão de sucesso, domínio de tarefas difíceis e acima de tudo superação de outras, como exemplo; gosto por assumir responsabilidades, gosto em correr riscos, porém, todos calculados, desejo de retorno concreto sobre seu próprio desempenho. Podemos dizer que Administradores que possuem esta necessidade, não pensam somente em seu resultado individual, mas sim pensam em um feedback positivo geral, tanto para empresa como para a equipe.

Com base nas três definições, é importante que você, Gestor, Administrador, profissional da área, saiba dosar as necessidades de Afiliação, Poder e Realização, lembre-se que para o sucesso basta a união e não o excesso.